segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Superstição - a pior doença do povo brasileiro



Perguntam a razão de o Brasil ser o que é. Como poderia ser diferente um país sem um mínimo de educação, e não falo somente de saber ler, escrever e fazer cálculos matemáticos. Eu falo de um povo que não sabe pensar e agir com um mínimo de racionalidade. O Brasil é um país de pessoas supersticiosas e por isso facilmente manipuladas por líderes inescrupulosos. Pastores evangélicos que vendem vassouras abençoadas por mais de 1000,00 reais, ou tijolinhos miniaturas que não passam de 1,99 por 200,00 reais. Agentes de segurança pública que fazem exorcismo. Só para citar algumas dessas baixarias no campo religioso. Se formos aumentar o leque para outras praticas não haveria como numerá-las. 

Quem não se lembra do nosso famigerado técnico da seleção brasileira da copa de 2014? Felipão repetiu os mesmos rituais que havia feito na sua primeira passagem como técnico da seleção brasileira em 2002, foi visitar sua santa de devoção Nossa Senhora do Caravaggio em Farroupilha RS. Todos sabem, que em 2002 o time do Brasil se sagrou campeão mundial, já em 2014 acho que a Santa não estava muito a fim de ajudar nosso campeão e todo mundo sabe o final dessa história.

Ou seja, o Brasil paga um preço alto demais devido a suas ilusões e leviandades. Obvio que um campeonato de futebol não tem a mesma importância da busca de um bem estar social elevado, e por isso mesmo devo fazer essa pergunta: Se estamos há séculos orando e fazendo rituais para vivermos em uma nação de primeira, por que até hoje isso não aconteceu? O Brasil rasteja em todos os quesitos consideráveis para ser considerada uma nação justa e igualitária.

A resposta parece óbvia. Não há pior entrave para o desenvolvimento de uma nação do que suas tradições irracionais. Por que se chocar com a notícia de um muçulmano que joga ácido no rosto de sua esposa por que ela é suspeita de adultério? Isso é corroborado pelas tradições de certos países. Países que ainda se encontram na idade média.
Somente para ilustrar esse artigo, países onde há mais religiosos tendem a ser mais violentos. Podemos notar isso nos países governados por fundamentalistas – principalmente islâmicos, mas podem ser judeus, cristãos ou qualquer outro. 

Vale lembrar que em vários países islâmicos a educação é desestimulada, principalmente entre as mulheres. Ou seja, as crenças infundadas sempre deterão o desenvolvimento de uma nação. Por isso o Brasil é o que é. Enquanto nos recusarmos a questionarmos nossas crenças e tradições vamos continuar amargando um baixo índice de desenvolvimento humano (IDH). Ao contrário de países que ocupam o topo dessa lista (IDH), como Noruega e Holanda que reconhecidamente não dão tanta importância as crendices.


André Stanley alcunha de André Luiz Ribeiro é professor e escritor; autor do livro “O Cadáver” (Editora Multifoco – 2013); É membro efetivo da Asso. Dos Historiadores e pesquisadores dos Sertões do Jacuhy desde 2004. Atua hoje como professor e pesquisador de História Cultural. Também leciona língua inglesa, idioma que domina desde a adolescência, Administra e escreve para os blogs: Blog do André Stanley (blogdoandrestanley.blogspot.com) – Sobre História, política, arte, religião, humor e assuntos diversos e Stanley Personal Teacher (stanleypersonalteacher.blogspot.com) onde da dicas de Inglês e posta exercícios para todos os níveis.

Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Populares