domingo, 13 de outubro de 2013

10 músicas de Heavy Metal que podem ser usadas em uma aula de História.

Bruce-Dickinson -  Queen Mary University of London - official publicity photo


O site “Loudwire” especializado em Heavy Metal publicou uma matéria onde selecionou 10 músicas de Heavy Metal que são uma verdadeira aula de História. Tomei a liberdade de traduzir o artigo de Joe DiVita e acrescentar umas dicas de como usar as músicas em uma boa aula de história, onde pelo menos aqueles seus alunos cabeludos que vão todo dia a escola com roupa preta irão adorar. O simples fato de se trabalhar com uma música de Metal já pode causar um certo furor, pois sai da rotina e mostra que você está interessado em conhecer o mundo deles. Vamos às músicas.

Ok, bem vindo ao curso de história de Heavy Metal. Durante esse curso nós vamos cobrir tópicos históricos abrangendo desde o antigo Egito até os recentes eventos que ocorreram no mundo. No entanto esta aula será dada com de uma forma diferente do padrão do curso de história.

Você não terá que se preocupar em comprar livros caros, já que as lições serão ensinadas através de músicas de Heavy Metal. Inúmeros artistas buscam inspiração de eventos do passado e oferecem uma reflexão sobre o que aconteceu. Nós discutiremos ambos os aspectos nessa aula, então leia para participar. Cada lição será ensinada através de uma canção, então pegue seus cadernos e comecem a tomar notas enquanto discutimos essas 10 músicas de Heavy Metal que são uma grande lição de história.


1- The Essential Salts' –Nile

A banda Nile (Nilo- rio do Egito) que é fanática pela história do antigo Egito escreveu varias canções sobre uma das mais fascinantes culturas de toda a história. The essencial Salts (Os sais essenciais) descreve o ritual de reanimação por meio do cozimento de partes do corpo e dos ossos até que a água se evapora restando apenas uma substância branca.

Ali está o sal do sujeito da reanimação que então se tornará carne enquanto as palavras são ditas. A música continua descrevendo o que acontece depois e descreve o que acontece se os sais estiverem contaminados. O sujeito reanimado experimentará alucinações e deverá ser morto imediatamente. O necromante que está a cargo do processo de reanimar o sujeito de forma imprópria deve também ser morto por estrangulamento com uma corda. Os corpos deles são então queimados e suas cinzas lançadas no Nilo. Aposto que você não aprendeu isso em sua aula de Egito Antigo na escola?






2- Alexander the Great - Iron Maiden


O Iron Maiden escreveu muito sobre história, mas nunca da mesma maneira que em “Alexander the Great” (Alexandre O Grande). Enquanto a maioria das músicas do Maiden envolvendo história oferecem uma reflexão, está canção especificamente é mais uma breve história de um dos maiores conquistadores da história do mundo. A música oferece insight sobre a vida de Alexandre, filho de Felipe da Macedônia, e detalha uma série de eventos cronológicos. Os locais das batalhas mais importantes e de seus oponentes já são o bastante para qualquer um tirar um “10” em um teste de história. A banda até mesmo menciona a influencia que o conquistador teve ao espalhar o Helenismo mundo afora o que pavimentou o caminho para o cristianismo. Considere “Alexander the Great” como um guia par a sua aula de história da Grécia.




3- Indians – Anthrax

Os mestres do Trash Metal nova-iorquino lançaram o grandioso “Among the Living” em 1987, que continha uma música sobre uma vergonhosa marca dos colonizadores da America do Norte. “Indians” (Índios) destaca as ações deploráveis tomadas contra as tribos nativas americanas e o que nós aprendemos com nosso passado. O Anthrax escreveu sobre alguns dos horrores enfrentados pelos nativos americanos justapostas com noções de paz e um desejo por um mundo sem preconceito. Conscientes de que nós nunca podemos voltar e reviver aquilo que aconteceu no passado, o Anthrax mostra que a melhor forma de honrar aqueles que morreram é aprender com os nossos erros para que não façamos novamente.





4- Hold at All Costs – Iced Earth

O líder do Iced Earth Jon Schaffer é um entusiasta da história americana e possui até mesmo sua loja de raridades históricas que é chamada de “Spirit of 76” (espírito de 76). “The glorious burden” é o primeiro álbum do Iced Earth com Tim “ripper” Owen nos vocais e é um álbum predominantemente sobre a história dos USA e temas patrióticos. ”Hold at all costs” (Agüente a todo custo) é o segundo dia da Batalha de Gettysburg durante a Guerra Civil Americana. Os flancos direito e esquerdo do exército da União foram atacados por ondas de investidas inimigas. Sem munição, não havia outra opção de retaliação que não fosse enfrentar a próxima onda de ataques com baionetas nos rifles. Em uma grande virada, a União segurou os confederados na mais mortal batalha da guerra. 




5- Stalingrad – Hail of Bullets

A banda de Death Metal alemã "Hail of Bullets" se auto intitulam “World War II Metal” (Segunda Guerra Mundial Metal) o apelido combina perfeitamente com o tema, já que a banda aborda temas especificamente sobre a Segunda Guerra Mundial. A batalha de Stalingrado é uma das mais notórias da guerra. Hail the Bullets não pega leve aqui, eles detalham uma série de eventos que se desenrolam durante a batalha com a brutalidade vívida dos mortos espalhados com um fundo absolutamente Death Meltal. Os vocais inelegíveis de Martin van Drunen faz com que a música se torne uma pequena lição sobre a batalha. Da próxima vez que estiver em uma aula de história discutindo sobre a Segunda Guerra Mundial, ofereça-se para tocar na sala de aula um Death Metal para ajudá-los a passar de ano.





6- Primo Victoria – Sabaton

Os suecos do Sabaton se orgulham de escrever sobre história militar. “Primo Victoria” é a primeira música que abre o primeiro álbum da banda com o mesmo nome. A música é sobre o Dia-D e ostenta uma batida com tempo de marcha para invocar o sentimento de guerra. A letra fala sobre a mentalidade dos soldados nas praias da Normandia, sabendo do risco de não voltarem vivos para casa. O sentimento de irmandade do exército está em foco aqui, descrevendo que morrer é egoísmo porque morreram antes do objetivo final que é destruir os nazistas. A operação é um esforço de equipe, isso é tudo o que importa. Sabaton presta um tremendo serviço ao abrir o álbum colocando o ouvinte para entrar na pele de um soldado na guerra.




7- Manhattan Project – Rush

O Rush é geralmente considerada uma banda de Rock progressivo, mas eles já fizeram sons muito parecidos com Heavy Metal, assim se encaixam nesta lista. De qualquer forma, o Rush escreveu letras que fazem as pessoas pensar. Eles mostram suas reflexões históricas a respeito do projeto que batizaram a música em questão. Manhattan Project é o nome do projeto que desenvolveu a bomba atômica. A letra é predominantemente vaga, mas com informa o ouvinte suficientemente sobre o projeto e as subsequentes conseqüências. O Rush expressa o arrependimento sentido por aqueles que comandaram o lançamento da bomba atômica no Japão, e no ultimo verso, da o nome do piloto e o mês do evento. Você pode agradecer o rush quando você pega aquela pergunta de risco.




8- Angel of Death –Slayer

A obra prima do SlayerReign in Blood” apresenta a impecável “Angel of Death” (Anjo da morte). A música escrita por Jeff Hanneman descreve os inúmeros horrores que ocorreram no campo de concentração de Auschwitz. O título foi tirado do apelido do médico Dr. Josef Mengele, que atuou em Auschwitz. Ele é odiado pelos atos de horrores que a música descreve muito bem. Seus experimentos monstruosos com prisioneiros judeus são pouco detalhados aqui, mas é mais que o suficiente para embrulhar seu estomago. As aulas de história geralmente descrevem um pouco dos detalhes sobre os terríveis atos praticados no holocausto, mas “Angel of Death” não deixa a desejar na descrição desse odioso evento.





9- War Pigs – Black Sabbath

Está clássica musica do Black Sabbath foi originalmente intitulada “Walpurigis” e era nitidamente satânica, falando sobre o sabbath das bruxas. O título não era inteiramente pertinente a isso, então foi pedido à banda para mudar a letra. O resultado foi uma música que passou pelo teste do tempo e se tornou uma musica de protesto contra a guerra da Vietnã. “War Pigs”(porcos de guerra) funciona como uma cápsula do tempo e é um dos vários protestos contra a Guerra do Vietnã. A música põe em pauta a mentalidade dos políticos e as pessoas que eles enviam para morrer no campo de batalha. A música termina descrevendo o fim da guerra e aqueles que pediram desesperadamente por ela repetindo seus erros, mas agora é muito tarde e Satã caçoa deles no inferno. 





10- Wind of Change – Scorpions

Ok, esta é uma balada, sim, mas é de uma banda de Heavy Metal então ela conta. O hit da banda alemã Scorpions fala a respeito da queda do muro de Berlin que foi um momento tão emotivo para aqueles que o presenciaram que só poderia ser capitado através de uma balada. “Wind of Change”(vento da mudança) descreve o sentimento a respeito do muro que dividiu Berlin ocidental da Berlim Oriental e o que isso significa para o futuro. A queda do muro viu a Alemanha unificada pela primeira vez desde o fim da segunda guerra mundial. Isso significou muito para aqueles que viviam na Berlin Oriental, por causa da grande disparidade de qualidade de vida que eles enfrentavam comparando com seus conterrâneos do lado ocidental. O muro de Berlim era uma lembrança melancólica da guerra que agora os cidadãos poderiam deixar para trás.






Esses são apenas 10 exemplos escolhidos arbitrariamente pelo autor do artigo (Joe DiVita), mas é nítido que um número infinito de músicas de Heavy Metal se referem a temas Históricos que tiveram importância par a história da humanidade. Cabe ao professor estar em sintonia com sua sala para notar a necessidade de usar ou não uma dessas canções em suas aulas de história. Mas por outro lado muitas outras canções de estilos diversos foram escritas inspiradas em eventos históricos. O segredo é construir um ambiente propício para que os alunos se interessem pela matéria e essas músicas são uma alternativa para chamar a atenção dos alunos e de alguma forma entrar em seus mundos tão particulares.

É inegável o maior interesse dos músicos e fans de Heavy Metal por temas históricos, por isso sempre quando ver um metaleiro saiba que pode ter dele o melhor se cativar-lo corretamente. No entanto podemos pensar em musicas alternativas para temas semelhantes.

A famosa banda U2 que tem um estilo mais popular e aceitável entre a juventude tem dois exemplos de músicas que podem ser trabalhados em sala de aula: “Sunday Bloody Sunday” que descreve o massacre de manifestantes irlandeses que protestavam contra a dominação britânica, evento que até hoje gera muita reflexão. Pride( In the name of Love) fala de forma subjetiva do assassinato do grande líder americano Martin Luther king Jr, que lutou bravamente pelos direitos da população negra dos EUA e foi assassinado por isso.

Mãos a obra caros professores de história, vamos fazer nossos alunos curtirem nossas aulas...





André Stanley alcunha de André Luiz Ribeiro é professor e escritor; autor do livro “O Cadáver” (Editora Multifoco – 2013); É membro efetivo da Asso. Dos Historiadores e pesquisadores dos Sertões do Jacuhy desde 2004. Atua hoje como professor e pesquisador de História Cultural. Também leciona língua inglesa, idioma que domina desde a adolescência, Administra e escreve para os blogs: Blog do André Stanley (blogdoandrestanley.blogspot.com) – Sobre História, política, arte, religião, humor e assuntos diversos e Stanley Personal Teacher (stanleypersonalteacher.blogspot.com) onde da dicas de Inglês e posta exercícios para todos os níveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Populares